A ESSENCIALIDADE DAS ROCHAS NATURAIS por Araciene Pessin

“Minerar sim, pois os bens minerais são essenciais à qualidade de vida almejada pela humanidade e à própria sobrevivência: mas fazê-lo com permanente atenção e todo cuidado no que respeita ao meio ambiente”, esta afirmação publicada na obra “Mineração e Meio Ambiente”, do IBRAM – Instituto Brasileiro de Mineração em 1992, traduz a importância das rochas ornamentais. O homem desde os primórdios faz uso das rochas em seu benefício, e assim, a rocha acompanha o homem em sua evolução.

No período paleolítico que ficou também denominado de Idade da Pedra Lascada, o homem vivia em cavernas de pedra, produzia instrumentos com lascas de pedra e fazia das rochas meio de registrar sua história, através das chamadas hoje pinturas rupestres. O termo ‘pedra’ portanto, foi utilizado para denominar o primeiro momento da civilização, mostrando já a importância da pedra para o homem.

No período neolítico, também denominado de Idade da Pedra Polida, pelo fato do homem ter evoluído e compreendido o processo de trazer brilho a pedra, destacam-se as vilas formadas a partir de blocos rochosos. Na Idade Antiga temos o significativo avanço arquitetônico alcançado pelas civilizações grega e romana, que fizeram da rocha, elementos estruturantes na criação de aquedutos, colunas e fortalezas. Na Idade Média ressalta-se a influência da arquitetura medieval e a execução de obras em rochas que encantam até os dias de hoje. Na Idade Moderna, o período do Renascimento, fez grandes artistas utilizarem dos blocos de mármore para expressar sua arte e seus dons. Na Idade Contemporânea, a pedra segue sendo utilizada em suas mais diferentes formas, como revestimento, como pavimentação, como estrutura, como meio de expressão de dons artísticos, como peça de design, enfim, nas mais variadas possibilidades.

Além de estar em todos os períodos civilizatórios da humanidade, a pedra também se faz presente nos marcos civilizatórios, e neste sentido, se destacam obras como as pirâmides do Egito, a muralha da China, o Pantheon em Roma, Machu Picchu no Peru, Taj Mahal na Índia, e tantas outras que tiveram a pedra como seu material de construção principal, dando vida assim, aos anseios dos homens que viveram nestas épocas. Podemos afirmar também, que as rochas contam a história da evolução da humanidade, pois diante de sua resistência e durabilidade, muitas continuam a mostrar até os dias atuais como homens dos períodos anteriores viviam e pensavam.

Como vimos, em todos os períodos civilizatórios as rochas são utilizadas, permitindo ao homem alcançar seus objetivos, se realizar e evoluir, provando assim, a essencialidade das rochas naturais para o homem enquanto ser que vive em sociedade e busca seu contínuo aprimoramento.

Seguindo nesta análise, podemos concluir que o homem é dependente do uso das rochas, e que com elas ele alcança seu progresso, e que através delas, conquista melhor qualidade de vida, pois com as rochas se pode revestir, pavimentar, estruturar, embelezar, encantar, …, provando assim que as rochas são essenciais aos homens.

                                                                                                     Araciene Pessin